segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Massagem no Idoso / Geriatria / Gerontologia



A massagem geriátrica, massagem no idoso ou massagem na terceira idade, é simplesmente massagem em indivíduos com mais de 60 anos, este tipo de massagem requer uma abordagem diferenciada, devido ao envelhecimento estar associado a diversos problemas de saúde, que variam de desconforto leve a processos patológicos significativos. Este tipo de massagem pode parecer, para alguns, mais fácil e simples, mas não é, o fisioterapeuta deve possuir tal habilidade, pois um fisioterapeuta não se limita somente a uma massagem terapêutica em si, pode e deve usar técnicas específicas de reabilitação, enriquecendo seu atendimento, atender o idoso exige conhecimento das patologias associadas, olho clínico e durante a massagem avaliá-lo com as mãos, ter a oportunidade de enxergá-lo, já que na maioria das vezes sua própria visão está comprometida, sentindo suas necessidades, com atenção e cuidados.
Enquanto alguns idosos têm um estilo de vida perfeitamente normal, saudável e ativo e podem usufruir da massagem como qualquer outro indivíduo, outros têm necessidades especiais. Além do desgaste normal da idade a maioria dos idosos não faz exercício físico. A falta de atividade física diminui a circulação sanguínea e linfática, fazendo uma diminuição do oxigênio no organismo fato que aumenta a morte celular.

A avaliação física deve ser realizada e a qualidade da pele muito bem observada, a pressão e deslizamento vão variar para cada paciente, na maioria das vezes suave, a massagem será sempre combinada a movimentação passiva das articulações, onde é o fisioterapeuta quem faz o movimento, na cabeça, braços, mãos, dedos, pernas e pés, respeitando o limite das articulações, promovendo um alongamento e liberação das fáscias e aumento da lubrificação das articulações. É possível fazer uso de várias téscnicas como mobilização neural, onde é feito um deslizamento  e movimento da inervação entre os músculos, liberação diafragmática, onde é observada o tipo de respiração do paciente, massagem visceral, onde os órgãos internos, como o intestino por exemplo, são estimuladas a "trabalhar". Os pés são muito importantes, devido à falta de mobilidade se torna difícil cuidar dos pés, fica cada vez mais trabalhoso alcançá-los, eles podem ser muito beneficiados com a massagem e com o movimento articular.  



Observamos um exemplo claro disso quando um idoso precisa elevar os braços para pegar algo em um armário alto, elevar os braços acima de um ângulo de 90 graus exige a ajuda da escápula, na maioria das vezes essa escápula não está “liberada”, é como se ela estivesse “colada” nas costas, a mobilização das articulações, inclusive das escápulas se faz muito importante para a melhora da qualidade de vida, da autonomia e até do equilíbrio do indivíduo, visto que quando não conseguimos elevar os braços para o alto jogamos o corpo para trás, o que afeta o equilíbrio, aumentando o risco de queda em idosos.


Temos que levar em consideração que essa população em especial vem crescendo a cada dia, e a cada dia mais ativos, eles adiam a aposentadoria, fazem suas compras, suas viagem, freqüentam clubes, dançam e dirigem seus carros normalmente, por isso quando cito a mobilização (movimento) da cabeça e pescoço penso em facilitar o movimento de olhar para o lado, seja no seu dia a dia ou dirigindo, com o passar dos anos a nossa tendência é fazer movimentos em bloco, como “robôs”, e para olhar para o lado viramos todo o nosso corpo, quando deveríamos ser capazes de olhar por cima do ombro a 90 graus.

 Devo citar ainda a sabedoria chinesa que diz que ao nascer, quando bebês, somos flexíveis e quanto mais perto da morte mais rígidos ficamos, assim como um galho novo comparado a uma velha árvore, para nos sentirmos jovens temos que ser flexíveis, daí a orientação das atividades orientais como yoga, tai chi chuan e artes marcias.
Com a idade ocorrem alterações fisiológicas que mudam aos poucos a nossa rotina diária, diminuindo a sua autonomia e consequente qualidade de vida.

Dentre elas citamos:
- Diminuição dos reflexos
- Perda de massa muscular e diminuição de contração muscular máxima
- Depressão,
- Sensação de abandono, solidão,
- Falta de motivação,
- Imobilidade forçada,
- Carência de apoio social,
- Perda da atividade laboral,
- Perda da capacidade de assegurar os seus cuidados básicos,
- Incontinência urinária e/ou fecal,
- Alterações metabólicas (osteoporose, desequilibrio eletrolitico).

 “De acordo com essas pesquisas realizadas recentemente, o Brasil terá muito mais idosos que jovens daqui há alguns anos. Essa realidade já é bem visível hoje em dia. O idoso deve ser bem tratado, queremos ver o todos envelhecendo com saúde e dignidade, independente de classe social. O atendimento de idosos por meio de massagem terapêutica traz ótimos resultados, a terceira idade é uma fase tão sensitiva que apenas um toque pode mudar a vida de um idoso, trazendo estímulo para ver a vida com mais expectativa. A massagem é só uma das várias portas a serem abertas pelo idoso para continuar a viver com mais alegria, tranqüilidade e positividade.” Diz a fisioterapeuta Ariane Sartori

Sem dúvida, aplicar massagem terapêutica em idosos é tão gratificante quanto exigente, tratando-os com a dignidade merecida, ainda que o seu nível de consciência possa apresentar diversos graus de alterações.

Todos os sistemas corporais do paciente são afetados pelo aumento da circulação e pelos movimentos da massagem, por isso a abordagem deve ser lenta e gradual, esperando a resposta de cada organismo, de cada indivíduo.
Benefícios da Massagem no Idoso:
·         Aumento da circulação sanguínea,
·         Aumento da circulação linfática,
·         Melhora da consciência corporal,
·         Alívio da dor,
·         Redução do estresse e da ansiedade,
·         Aumento da amplitude de movimento,
·         Atenção individualizada e sensação de segurança, levando a maior disposição,
·         Melhora dos padrões do sono,
·         Possível redução dos sintomas da doença de Alzheimer,
O aumento da circulação sanguinea e linfática melhora a distribuição de oxigênio e outros nutrientes às células e também a remoção de detritos celulares e resíduos do metabolismo, como ácido lático. Assim processos de cura tronam-se mais eficientes, já que o estímulo a circulação pode evitar feridas de decúbito (escaras) e outros problemas circulatórios.




Na maioria das vezes os idosos são atendidos em domicílio, uma vez na semana, durante 1 hora, o que nos permite avaliar as condições físicas do ambiente, ótima oportunidade para avaliar risco de quedas, se possui barras de suporte nos banheiros, altura do vaso sanitário, altura da cama e outros. A importância da massagem no idoso é a certeza de que, pelo menos uma vez por semana receberá uma atenção totalmente dedicada ao seu cuidado individual, o que o fará sentir-se único e valorizado, sendo assim a sua auto-estima melhora.

 
Saber como passou naquela semana, se houve alguma intercorrência, aferir sua pressão arterial, fazer ausculta pulmonar, medir sua temperatura, pedir atenção de um médico especialista quando for o caso, são algumas coisas que esperam de um atendimento fisioterapêutico de qualidade e essa prevenção pode salvar vidas.

 

As necessidades específicas de cada idoso requerem algumas modificações na metodologia e técnica de massagem. È o caso, por exemplo dos doentes acamados, com doença crónica (ex: artrite, diabetes, epilepsia, asma, etc.), com deficiência visual e auditiva, deficiências fisícas e problemas psicológicos. Algumas inclusive vão oferecer impedimento para algum tratamento, as contra-indicações vão desde processo inflamatório agudo, trombose, ingestão de alguns medicamentos, solicitar liberação médica é sempre útil.



E isso nos lembra que a abordagem da fisioterapia na geriatria ou gerontologia tem muito a oferecer, como:
- Orientações ao domicílio, ao auto-cuidado, acompanhamento, estímulo cognitivo, diminuição do risco de quedas, dicas e sugestões práticas para o dia a dia,
- Exercícios respiratórios,
- Exercícios de equilíbrio,
_ Orientações Posturais,
- Atividades Físicas no domicílio, para melhora da força (tônus e trofismo)
Espero que tenha ajudado a esclarecer um pouco do que podemos fazer pelos idosos e o quanto é importante o acompanhamento de um profissional qualificado, segue mais informações sobre a população idosa retirada do Site “Idosos”.

CONCEITO DE ENVELHECIMENTO
Saiba mais em: http://www.idosos.com.br/
Nas sociedades ocidentais é comum associar o envelhecimento com a saída da vida produtiva (aposentadoria). É difícil caracterizar uma pessoa como idosa utilizando como único critério a idade. Além disso, neste segmento conhecido como 3ª idade estão incluídos indivíduos diferenciados entre si, tanto do ponto de vista socioeconômico como demográfico e epidemiológico.
Podemos observar diferentes idades biológicas e subjetivas em indivíduos com a mesma idade cronológica. O organismo humano da concepção até a morte.
O envelhecimento é caracterizado pelo declínio das funções que tende a ser linear em função do tempo. Admite-se, como regra geral, que ocorre a cada ano a partir dos 30 anos de idade perda de 1% da função.
- Países desenvolvidos: 65 anos
- Países em desenvolvimento: 60 anos
A Assembléia Mundial sobre Envelhecimento definiu população idosa como o grupo de pessoas com 60 anos e mais (Viena, 1982).


PERSPECTIVAS
Estima-se que, atualmente, cerca de 1 milhão de pessoas cruza a barreira dos 60 anos de idade, a cada mês, em todo o mundo. Estimativas apontam que, de 1990 a 2025, a população idosa mundial crescerá 2,4% ao ano, contra 1,3% de crescimento anual da população terrestre em sua totalidade.
Na Améria Latina entre 1980 e 2025 aumento de 217% da população total, enquanto que o aumento da população acima de 60 anos deverá ser de 412%. No ano 2025 Brasil terá a 6ª população de idosos em termos absolutos.
Estimativas para os próximos 20 anos indicam que a população idosa poderá exceder 30 milhões de pessoas ao final deste período, chegando a representar quase 13% da população

CRESCIMENTO DA POPULAÇÃO IDOSA
Entre os municípios das capitais, Rio de Janeiro e Porto Alegre se destacaram com as maiores proporções de idosos, representando, respectivamente, 12,8% e 11,8% da população total nesses municípios.
Em contrapartida, as capitais do Norte do país, Boa Vista e Palmas apresentavam uma proporção de idosos de apenas 3,8% e 2,7%.
Em termos absolutos, o Censo 2000 registrou no Município de São Paulo quase 1 milhão de idosos vivendo naquela capital
Mais mulheres do que homens
A razão de sexo da população idosa é bastante diferenciada, sendo bem maior o número de mulheres.
Em 1991, as mulheres correspondiam a 54% da população de idosos, passando para 55,1% em 2000.
Isto significa que para cada 100 mulheres idosas havia 81,6 homens idosos, relação que, em 1991, era de 100 para 85,2.
Tal diferença é explicada pelos diferenciais de expectativa de vida entre os sexos, fenômeno mundial, mas que é bastante intenso no Brasil, haja vista que, em média, as mulheres vivem oito anos mais que os homens.
Grande parte das mulheres é viúva, vive só, não tem experiência de trabalho no mercado formal e são menos escolarizadas. Viuvez pode representar uma certa independência ou mesmo uma forma de realização.
___________________________________________________________________
Sempre há novidades. Acompanhe !
Obrigada, deixe seus comentários, participe !!!
Dani Borges

2 comentários:

  1. PARABENS MARAVILHOSA MATÉRIAMUITO ELUCIDATIVA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Flor, realmente esse é um dos meus posts preferidos, amei escrevê-lo !!! Bjo Dani

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...